Capicua nasce no Porto nos anos 80, descobre a cultura Hip Hop nos anos 90 (primeiro pelo Grafitti e depois pela música), passando de mera ouvinte a aprendiz de Rapper nos anos 00. Socióloga de formação, considera-se uma rapper militante e é conhecida pela sua escrita exímia, emotiva e politicamente engajada.

Com uma vasta discografia, conta já com um percurso sólido no panorama da música lusófona: duas mixtapes (Capicua Goes Preemo – 2008 e Capicua Goes West – 2013), três álbuns em nome próprio e um disco de remisturas (Capicua – 2012, Sereia Louca – 2014, Medusa – 2015 e Madrepérola - 2020), um disco-livro para crianças em parceria com Pedro Geraldes (Mão Verde – 2016)l, um disco luso-brasileiro partilhado com Emicida, Rael e Valete (Lingua Franca – 2017).

Na última década, tem somado intensos e participados concertos, conquistando um público muito diverso e o reconhecimento da crítica, contribuindo sempre para a destruição dos estigmas associados ao Rap no nosso país.

Apologista do espírito colaborativo e interventivo típico da cultura Hip Hop, tem trabalhado com vários artistas (de Sérgio Godinho a Sara Tavares), e participado em diversas conferências, workshops e projetos sociais (como o OUPA, em que trabalhou durante quatro anos consecutivos a convite da Câmara Municipal do Porto).

De assinalar é também o seu aclamado percurso como letrista (para intérpretes como Gisela João, Aline Frazão, Ana Bacalhau, Camané ou Clã) e a sua actividade como cronista na Revista Visão.

Em 2021, celebrando o primeiro aniversário do álbum “Madrepérola”, edita o EP “Encore”, gravado ao vivo no Rivoli e no Teatro Aveirense, nos últimos concertos do difícil ano de 2020. Em plena pandemia, contraria-se a falta de palco, celebrando a música ao vivo, para perpetuar os momentos felizes entre a banda e a plateia, mas também para dar a merecida continuidade ao seu último disco de originais.

Renovam-se os votos, prepara-se reportório, com a nova formação e o novo cenário, para voltar à estrada assim que possível, plenos de energia vital, para espalhar poesia convertida em música.

todas as novidades e agenda de concertos actualizada em:
www.facebook.com/capicuarap

info:
capicuarap@gmail.com

booking:
Ana Moitinho (Radar dos Sons)
anamoitinho@radardossons.com

press:
Sónia Pereira
(Universal Music)
sonia.pereira@umusic.com
Em nome próprio:
  • Capicua (2021) - Encore (EP ao vivo)
  • Capicua (2020) - Madrepérola (Universal)
  • Capicua, Emicida, Rael e Valete (2017) - Língua Franca (Sony Music)
  • Capicua e Pedro Geraldes (2016) - Mão Verde (Norte Sul)
  • Capicua (2015) – Medusa (Norte Sul)
  • Capicua (2014) – Sereia Louca (LP)
  • Capicua (2013) – Capicua Goes West Mixtape (Vol.2)
  • Capicua (2012) - Capicua (LP)
  • Capicua (2008) - Capicua Goes Preemo Mixtape (Vol.1)
  • Mau Feitio (2007) - Mau Feitio (EP)
  • Syzygy (2006) - 3 Corpos Astrais Alinhados (EP)
Participações:
  • Stereossauro - Bairro da Ponte (2019)
  • Xutos e Pontapés - Puro (2019)
  • Fernando Tordo - Duetos (2019)
  • Expeão - Magnólia (2019)
  • Dj Ride - From Scratch (2015)
  • Tribruto - Chavascal (2014)
  • Dalva - #batequebate (2014)
  • Bob da Rage Sense - Ordem Depois do Caos (2014)
  • Orelha Negra Mixtape II (2013)
  • E.P - SoulMood, SoulFood, SoulTudo - Jêpê (2013)
  • Mixtape Orelha Negra II (2013)
  • Colectânea Bodyspace 10 anos (2012)
  • Compilação Hip Hop Series Vol. 4 (2012)
  • Compilação Novos Talentos Fnac (2012)
  • Rey - Sua Alteza o Vagabundo (2011)
  • Mixtape Mike Phelps do Dj Nelassassin (2010)
  • Mixtape Dj Cruzfader De Volta ao Serviço (2009)
  • Mixtape Incediários (2009)
  • Skunk - A Marcha (2009)
  • Compilação Best Off (2009)
  • Mixtape 2º Piso 15 Anos (2008)
Letras para outros intérpretes:
  • "Armário" - Clã em "Véspera", 2020
  • "Tempo-Espaço" - Clã em "Véspera", 2020
  • "Sobre Nós" - Tamin - Festival da Canção 2018
  • "Flor de Maracujá" - Camané em "Bairro da Ponte", 2019
  • "A Bacalhau" - Ana Bacalhau em "Nome Próprio", 2017
  • "A Tua Estátua" - Marco Rodrigues em "Copo Meio Cheio", Universal, 2017
  • "Noite de São João" - Gisela João em "Nua", Valentim de Carvalho, 2016
  • “A Casa da Mariquinhas” – Gisela João, em “Gisela João”, Valentim de Carvalho, 2013
  • “A Louca” – Aline Frazão, em “Insular”, Valentim de Carvalho, 2015
Prémios:
  • Prémio José da Ponte 2016 - Sociedade Portuguesa de autores
  • Nomeação para o prémio “Nação Inovadora 2015” pela Sic Notícias e a Audi
  • Nomeação para “Melhor actuação ao vivo – Artista Nacional” no Portugal Festival Awards de 2014
  • Nomeação para “Personalidade do ano 2015” - Prémios APORFEST – Associação Portuguesa de Festivais de Música
  • Nomeação para “Melhor Música 2015”, com o tema “Vayorken” nos Globos de Ouro – Sic Caras
  • Prémios Novos 2013 - Vencedora da categoria de Música
  • Nomeação para os Iberian Festival Awards 2015, na categoria Best Live Performance (Nacional), pelo concerto no FMM – Sines (2015).
  • Prémio a(R)itmar da Música e Poesia Galego-Portuguesa na categoria “Melhor Tema Musical Português 2015” com o tema “Medusa”.


Consultar clipping aqui.